Le Magazine Accor Hotels

Quando as linhas aéreas voltam a operar normalmente?

Veja como está a atividade durante a pandemia

Em tempos de distanciamento social para combater à pandemia do novo coronavírus, uma dúvida comum é quando as linhas aéreas voltam a operar.

Seja para viagens a trabalho ou a lazer, o fato é que a aviação é um dos mais importantes setores globais.

Por outro lado, também é um dos que mais sofrem os impactos da pandemia: o número de voos diários caiu em 80% desde o começo do ano.

Em algumas partes do mundo, o tráfego aéreo foi totalmente suspenso.

Em meio à turbulência desse cenário, é importante acompanhar os desdobramentos do cenário da Covid-19 para saber quando viajar em segurança.

Para esclarecer possíveis dúvidas de viajantes que dependem do tráfego aéreo, preparamos um texto completo, trazendo perguntas e respostas sobre viagem de avião na quarentena.

Fique por dentro!

quando linhas aereas voltam a operar

Afinal, ainda é possível viajar de avião durante a quarentena?


Embora estejam acontecendo proibições e restrições de viagens em todo o mundo, os aeroportos do Brasil continuam operando mesmo que com a frota reduzida.

Com a crise provocada pelo coronavírus, as companhias aéreas passaram a fazer o mínimo necessário de voos pelo país.

De acordo com dados do site Flightradar 24, que monitora voos por todo o mundo, a redução de voos no Brasil, entre março e abril, chegou a 90%.

segundo informações da consultoria Acend Cirium, divulgadas pela BBC, cerca de 17 mil aeronaves estão estacionadas em aeroportos de todo o mundo: dois terços da frota global.
limpeza nos aviões

Quais linhas aéreas estão operando durante a pandemia?

Mesmo com a restrição da entrada de passageiros no Brasil por tempo indeterminado, as companhias aéreas continuam operando durante a pandemia.

E por aqui, quando as linhas aéreas voltam a operar?

Confira informações sobre as principais companhias aéreas com atuação no Brasil:

1. Aerolíneas Argentinas

A companhia aérea argentina está retomando seus voos aos poucos, mas os voos internacionais ainda são exclusivos para moradores argentinos.

Os voos internacionais estão suspensos até o dia 1º de setembro devido à pandemia.

Durante esse período, estarão autorizados apenas voos especiais de repatriação ou carga.

2. Air France

Até o fim de maio, a companhia aérea francesa segue com redução de até 90% de suas atividades.

Mas continua operando três vezes por semana voos entre Paris e São Paulo e uma vez por semana voos entre a capital francesa e o Rio de Janeiro.

3. Alitalia

Com horários reduzidos, a companhia aérea italiana ainda não tem previsão de quando deve retomar os voos para São Paulo e Rio de Janeiro nos meses de maio e junho.

4. American Airlines

A American Airlines suspendeu desde o dia 16 de março as rotas entre o Brasil e os Estados Unidos, além de outras cidades sul-americanas, como Bogotá (Colômbia), Lima (Peru) e Santiago (Chile).

Desde 11 de maio, tornou obrigatório o uso de uma cobertura facial ou máscara dentro de suas aeronaves.

Apenas crianças pequenas, bebês e passageiros com quadros clínicos que impossibilitam o uso de máscaras estão dispensados da nova exigência.

5. Azul Linhas Aéreas

Desde abril, a companhia aérea voltou a aumentar a oferta de voos pelo Brasil, chegando a 100 operações por dia.

Também passou a oferecer viagens para mais cidades brasileiras recentemente, como:

  • Altamira (PA)

  • Araçatuba (SP)

  • Bauru (SP)

  • Boa Vista (RR)

  • Chapecó (SC)

  • Fortaleza (CE)

  • Foz do Iguaçu (PR)

  • Londrina (PR)

  • Macapá (AP)

  • Marabá (PA)

  • Navegantes (SC)

  • São José do Rio Preto (SP)

  • Santarém (PA)

  • Sinop (MT)

  • Teresina (PI).

Já em relação aos voos internacionais, mantém frequência de um voo semanal para os destinos:

  • Fort Lauderdale (Estados Unidos)

  • Lisboa (Portugal)

  • Orlando (Estados Unidos).

Para o mês de junho, a Azul planeja fazer dois voos por semana para Lisboa.

6. easyJet

A easyJet está com todas as aeronaves em terra por tempo indeterminado desde o dia 6 de abril.

7. GOL Linhas Aéreas

A GOL Linhas Aéreas foi uma das companhias que mais aumentou o número de voos nacionais diários, chegando a 51 ao todo.

A partir do dia 24 de maio, terá ainda mais 17 voos adicionais.

As rotas abrangem principalmente a região Sudeste e também capitais como Porto Alegre e Vitória, além de Brasília.

No dia 3 de maio, retomou as operações de uma das principais pontes aéreas do Brasil, Rio-São Paulo, com voos entre os aeroportos Santos Dumont (RJ) e Congonhas (SP).

O voo Santos Dumont-Congonhas tem agora dois horários de ida e volta durante a semana e a partir do dia 24 de maio também terá um aos domingos.

Já os voos internacionais estão suspensos até o dia 30 de junho.

Desde o dia 10 de maio, a companhia brasileira tornou obrigatório o uso de máscara em seus voos.

8. Iberia

A Iberia mantém as frotas reduzidas e passou a flexibilizar remarcações e reembolsos devido à pandemia.

A partir do dia 1º de julho, a companhia espanhola vai retomar voos diretos para São Paulo e Rio de Janeiro.

9. KLM

Com a redução do número de voos, até o dia 31 de maio, a companhia deve voar somente para 28 destinos intercontinentais e 32 europeus.

A companhia holandesa continua a conectar Amsterdã e São Paulo às segundas-feiras, quartas-feiras e sábados.

Já para quem sai do Brasil, conecta São Paulo à capital holandesa às segundas-feiras, quartas-feiras e sextas-feiras.

10. LATAM

Após suspender em abril todos os voos internacionais de passageiros, a maior companhia aérea da América do Sul segue apenas com a operação doméstica no Brasil e no Chile.

Em território brasileiro, a companhia voa para 39 destinos conectados por Brasília, Fortaleza e São Paulo.

Já para fora, os únicos voos internacionais que continua a realizar são entre São Paulo e Miami (Estados Unidos) e também Santiago (Chile), em três frequências diárias.

No entanto, a partir de 19 de maio deve retomar a operação entre São Paulo e Frankfurt.

Já a partir de junho, seu sistema de reservas indica que também vai voltar a oferecer voos para cidades americanas, europeias e sul-americanas como:

  • Assunção

  • Barcelona

  • Lima

  • Lisboa

  • Londres

  • Madri

  • Montevidéu

  • Nova Iorque

  • Orlando

  • Paris.

Desde o dia 11 de maio, tornou obrigatório o uso de máscara em seus voos.

11. Lufthansa

Além de reduzir o número de voos, a Lufthansa atualiza os horários deles a cada dois dias.

Por mais que mantenha voos de São Paulo para Frankfurt três vezes por semana, a recomendação é ficar de olho em sua tabela de horários.

12. Ryanair

Com 99% de redução em suas operações desde o dia 7 de maio, a Ryanair segue com limitações até o dia 28 de maio.

13. TAP Air Portugal

A companhia portuguesa mantém apenas algumas rotas em operação, como:

  • Funchal (Portugal)

  • Ponta Delgada (Portugal)

  • Terceira (Portugal)

  • Quatro voos semanais entre Lisboa e Londres (Inglaterra)

A partir de 21 de maio, pretende retomar os voos para o Brasil.

usando mascara no aeroporto

Quando as linhas aéreas voltam a operar normalmente?

Descobrir quando as linhas aéreas voltam a operar pode parecer uma incógnita, já que é difícil prever a duração de uma pandemia.

Por outro lado, é possível ter alguma noção a partir de projeções de especialistas.

Para a Organização Internacional de Aviação Civil (OIAC), a redução mais substancial de passageiros deve acontecer na Europa, principalmente na alta temporada de verão, seguida pela região Ásia-Pacífico.

A queda de faturamento das companhias aéreas deve ficar entre 160 bilhões e 253 bilhões de dólares nos primeiros nove meses do ano.

Assim sendo, é possível imaginar que as linhas aéreas voltem a operar normalmente a partir de setembro.

Segundo matéria publicada na BBC, levará muitos anos para que o setor aéreo volte ao nível de produtividade de 2019.

O jornal entrevistou Alexandre de Juniac, diretor-geral da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) e ele disse que rotas domésticas de países vão reabrir primeiro e, em seguida, o mesmo deve acontecer com rotas internacionais de curta duração.

Voos intercontinentais deverão vir em seguida e as restrições deverão se manter em vigor até o final de 2020 em alguns destinos.

Mas o temor é que o setor demore mais dois anos para voltar a funcionar com normalidade.

Para estimular a retomada, companhias aéreas como a Azul e a Latam passaram a oferecer condições especiais para os consumidores.

A Azul criou o “Bilhete Viagem” para vender pacotes de viagens válidas até abril de 2021.

Já a Latam disponibilizou passagens com tarifas mais baixas para o segundo semestre de 2020.

Precisa viajar durante a quarentena? Saiba como se proteger durante a viagem!

Antes de viajar durante a quarentena, é importante avaliar a real necessidade da viagem.

Se ela for mesmo inevitável, procure se prevenir ao seguir as orientações de autoridades como Anvisa, Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde:

  • Lave as mãos com água e sabão

  • Se não tiver água corrente nem sabão, use álcool em gel

  • Evite colocar as mãos na boca, no nariz e nos olhos

  • Ao espirrar ou tossir, cubra o nariz e a boca

  • Mantenha a distância de pessoas tossindo ou espirrando

  • Não compartilhe objetos de uso pessoal

  • Use máscara.

Se apresentar sintomas de gripe, o Ministério da Saúde recomenda que fique em casa por 14 dias, seguindo as orientações de isolamento domiciliar.

Se sentir falta de ar, procure o hospital mais próximo.

Voltou recentemente de uma viagem ao exterior?

A recomendação é isolamento domiciliar por no mínimo sete dias, a partir da data de desembarque.

Para ter acesso a mais orientações de proteção ao coronavírus ligue para o Disque Saúde: 136.

Saiba quais são seus direitos durante a crise do coronavírus

O cancelamento de voos devido à pandemia do coronavírus continua pegando muitos viajantes de surpresa.

Para evitar qualquer dor de cabeça e remarcar ou pedir reembolso do valor pago pela passagem aérea, hospedagem ou agência de turismo, basta se atentar às determinações da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e demais autoridades.

Confira as principais perguntas e respostas sobre os seus direitos durante a crise do coronavírus e torne sua experiência de viagem mais tranquila.

Quero cancelar minha viagem por causa do coronavírus. Como faço para conseguir o reembolso?

Como medida de prevenção, você decidiu cancelar sua viagem.

E agora: não sabe o que fazer para conseguir recuperar o dinheiro gasto na passagem, hospedagem ou pacote?

Para resolver o problema, entre em contato com a companhia aérea, hotel ou agência de viagem em que fez suas reservas para se informar sobre as políticas de cancelamento.

Se não tiver certeza sobre a empresa que contratou o serviço, basta olhar o nome dela no extrato do banco ou cartão de crédito usado no pagamento, assim como no e-mail de confirmação de reserva

Segundo a Medida Provisória (MP) nº 925, que vale para passagens compradas até 31 de dezembro de 2020, nesse caso, o passageiro fica sujeito às regras contratuais da tarifa adquirida.

Assim, é possível que sejam aplicadas eventuais multas.

Mas, em todo caso, o valor da tarifa de embarque deve ser reembolsado integralmente e dentro de um prazo de 12 meses.

Meu voo foi cancelado por causa do coronavírus. Como consigo reembolso?

Caso o voo seja cancelado em função da pandemia, o processo é o mesmo que o anterior.

Primeiro, você deve ligar para a companhia aérea escolhida ou seu agente de viagens online.

Procure ter paciência: como várias viagens estão sofrendo mudanças por causa do coronavírus, o atendimento pode demorar um pouco mais do que o normal.

Para evitar uma longa espera no telefone e facilitar a solução do problema, opte pelos canais de atendimento online disponíveis.

Em caso de negativa, o Procon pode ser acionado e você pode registrar sua reclamação na plataforma: www.consumidor.gov.br

Se desejar, você pode ainda entrar em contato com a administradora do cartão de crédito, caso tenha usado essa forma de pagamento e com o seguro viagem, se tiver contratado.

Meu seguro viagem pode cobrir cancelamentos por conta do coronavírus?

Esta é outra dúvida muito comum entre os viajantes, mas a resposta é que a cobertura a cancelamentos por conta do coronavírus varia.

Isso porque depende da política da empresa.

Para saber mais sobre essas informações, verifique o site ou ligue para a companhia para tirar todas as suas dúvidas.

Conclusão

Em um cenário imprevisível, saber quando as linhas aéreas voltam ao normal pode parecer um desafio.

Mas o que nós esperamos é que, juntos, possamos superar este momento delicado e viver momentos incríveis no futuro.

Que tal voltar a sonhar com os destinos que você quer tanto conhecer?

Quanto antes planejar sua viagem, mais em conta ela fica e mais tranquilidade você tem - mesmo que seja para além de 2020.

Os hotéis da rede ALL Accor Live Limitless estão preparados para receber os hóspedes e seguindo todas as recomendações necessárias. 

Para planejar sua viagem e aproveitar nossas ofertas, visite nosso site.

Você curtiu? Compartilhe!

Por aí

Mais ideias de viagens

Encontre seu destino perfeito

Com o Radar de Viagens

Descubra