Le Magazine Accor Hotels

Viagem a trabalho: direitos e como aproveitar o tempo livre

Confira todas as informações para ter uma viagem de trabalho mais produtiva!

Ser escolhido para fazer uma viagem a trabalho representa uma oportunidade interessante para a carreira. Afinal, é a chance de você mostrar que está apto a assumir diferentes responsabilidades e representar a sua empresa em um evento ou negociação importante para ela. E, olhando pelo lado mais divertido, pode ser que você ainda tenha a chance de conhecer um novo destino nas horas de lazer.

Contudo, além de pensar em tirar o máximo proveito da experiência, você precisa entender tudo sobre ela: como funciona, quais são seus deveres e direitos.

É o que confere a partir de agora, neste texto cheio de dicas que preparamos para você.

Então, acompanhe até o final e boa leitura!


viagem a trabalho como funciona

Como funciona uma viagem a trabalho?

A viagem a trabalho acontece quando um trabalhador precisa se deslocar para representar a empresa para a qual trabalha em uma localidade diferente da sua filial, em outra cidade, estado ou até país.

Essa necessidade pode se dar pelos mais diversos motivos, como comparecer a uma convenção com funcionários de outras filiais ou para fazer uma reunião com fornecedores, por exemplo.

Nesse caso, o empregado segue tendo seu expediente de trabalho, como seria no seu próprio escritório, mesmo estando fora dele.

Ou seja, está sujeito aos mesmos deveres e faz jus aos mesmos direitos, além de outras questões particulares desse tipo de atividade.

viagem a trabalho direitos do trabalhador

Quais os direitos do trabalhador ao viajar a trabalho?

Você conhece a legislação de viagem a trabalho? 

É importante entender quais são as suas obrigações e os seus direitos antes mesmo de embarcar.

Esse é um conhecimento que o ajuda a não se comprometer financeiramente mais do que você gostaria ou deveria.

Então, acompanhe um resumo com as principais dúvidas sobre legislação de viagem a trabalho.

O que mudou com a Reforma Trabalhista no caso de viagem a trabalho?

A viagem a trabalho pela nova CLT sofreu apenas uma alteração de legislação. 

Agora, o tempo que o funcionário leva se deslocando até o seu destino, assim como o que passa esperando pelo ônibus ou avião que o levará até lá, não é mais contabilizado como hora de trabalho.

Isso significa que, depois da Reforma Trabalhista de 2017, não há previsão de recebimento de horas-extras relativas a essa situação.

Quem viaja a trabalho tem direito à hora extra?

Além da regra que acabamos de explicar, não há outra definição na lei sobre horas-extras em viagens a trabalho. 

Por isso, a jurisprudência aplicada é a da legislação comum.

Assim, de acordo com a CLT, hora-extra é qualquer período trabalhado a mais, além da carga horária combinada entre o funcionário e a empresa. 

A jornada de trabalho normal aplicada no país é de 44 horas semanais, sendo 8 horas de trabalho diárias.

Portanto, esteja no escritório ou em uma viagem a trabalho, o empregado que exceder esse tempo deve receber horas-extras.

Se isso ocorrer em dias úteis, o valor por hora excedida é aquele que a empresa paga pela hora do funcionário + 50%. 

Já nos dias de folga ou nos feriados, é o valor da hora de trabalho do funcionário + 100%.

O direito se aplica a aqueles com registro no ponto eletrônico, o que exclui diretores, por exemplo.

Ainda, é importante saber que pernoitar na cidade destino de sua viagem a trabalho é considerado como tempo de descanso e, portanto, não faz jus ao recebimento de horas-extras.

Quem tem direito a diária em hotel?

Qualquer funcionário que está em uma viagem a trabalho tem direito a uma diária de hotel, caso ela se faça necessária, custeada pela empresa. 

Na verdade, não só a diária: qualquer despesa referente ao exercício profissional, como alimentação e deslocamento, também devem ser custeados pela empresa, de acordo com a legislação. 

Quem paga as outras despesas?

A resposta certa para essa resposta é que depende da despesa.

Bens que tenham sido adquiridos para o seu benefício próprio e que não se relacionem com a sua atividade profissional são custeados pelo próprio funcionário. 

Se o empregado esquecer a escova de dentes em casa, por exemplo, e precisar adquirir uma nova, isso não poderá ser reembolsado.

Porém, existe uma série de despesas que devem ser reembolsadas pela empresa, quando o funcionário faz uma viagem a trabalho. 

Veja exemplos:

  • Combustível para o seu carro (caso ele esteja sendo usado para o deslocamento)

  • Lubrificantes para o carro (caso se façam necessários durante o trajeto)

  • Passagens (aéreas, rodoviárias ou de transportes urbanos)

  • Gastos com alimentação durante a viagem

  • Entradas em congressos, palestras e conferências corporativas

  • Cursos feitos pelo funcionário, a pedido da empresa

  • Táxi para deslocamento a trabalho.

Existem diversas formas de a empresa cobrir os custos da viagem a trabalho. 

Uma delas é reembolsando o funcionário, após ele ter pago todas as despesas por si mesmo.

Outra possibilidade é o pagamento através de adiantamentos para despesas básicas, que devem ser devolvidos, caso não sejam gastos. 

Assim, na volta, o funcionário apresenta notas fiscais dos seus gastos durante o período da viagem a trabalho, para justificar quanto deve devolver ou receber a mais.

Também pode ser estabelecido um valor fixo, que funciona como um texto para as despesas diárias com alimentação, deslocamento e hospedagem.

Por fim, outra estratégia é o cartão de crédito corporativo, com a fatura paga pela própria empresa, mas cujo uso também deve de limitar àqueles gastos passíveis de reembolso.

Seja como for, as regras devem estar claras para o funcionário antes de iniciar a viagem a trabalho, o que pode ser feito a partir de um acordo coletivo com o sindicato ou associação da categoria.

Como funciona o reembolso em viagens a trabalho?

No caso das empresas que trabalham com reembolso, é comum que elas peçam que o funcionário apresente comprovações das despesas. 

É importante saber que o reembolso deve constar no contracheque do funcionário. 

Se os valores forem inferiores à metade do seu salário, não há incidência de encargos trabalhistas sobre eles.

Já caso superem 50% do pagamento mensal, é preciso que a empresa possa comprovar que esse valor se refere a um reembolso (por isso, a apresentação de notas fiscais é exigida) para que não precise arcar com mais impostos. 

viagem de trabalho desafios

Quais são os principais desafios de viajar a trabalho?

Conhecidas as regras, vamos ver quais devem ser as demais preocupações de quem vai realizar uma viagem a trabalho.

Vestuário

Apesar de ser uma viagem, é importante lembrar que você irá encontrar fornecedores, colegas de trabalho ou possíveis parceiros de negócios.

Por isso, ao invés da sensação de informalidade de uma viagem, procure combinar a sua mala com cada ocasião.

Pontualidade

Muitas vezes, a viagem a trabalho é feita para uma reunião que foi marcada com antecedência e para a qual os demais participantes abriram tempo nas suas agendas.

Por isso, mesmo estando em um ambiente diferente do que você está acostumado, é necessário ter atenção à pontualidade.

Acorde ainda mais cedo e tente descobrir antecipadamente quanto tempo será necessário para os seus deslocamentos pela cidade. 

Alteração na rotina

Um aspecto importante da viagem a trabalho é que ela altera a sua vida pessoal. 

Você não será capaz de buscar seus filhos na escola, ir à academia pela manhã ou ajudar o seu parceiro com as tarefas de casa, por exemplo.

Enquanto a quebra da rotina pode ser um alívio para algumas pessoas, também pode gerar frustração para outras, que sofrem mais com saudades da família, por exemplo.

Afinal, como manter a produtividade em uma viagem a trabalho?


Uma nova cidade, um ambiente diferente e distrações variadas.

A mudança na rotina em uma viagem a trabalho pode fazer com que o funcionário renda menos do que em um dia comum no escritório. 

Porém, as demandas continuam chegando e ele precisa dar conta da sua função, mesmo a distância.

Quer saber como se manter produtivo? Temos algumas dicas para você!

Replique a sua rotina

Nada melhor para disciplinar o cérebro e mantê-lo produzindo do que estabilidade. 

Portanto, enquanto estiver na sua viagem a trabalho, o primeiro passo é tentar replicar o que é feito em casa.

Acorde na mesma hora que nos demais dias de trabalho, reproduza a sua rotina matinal (com atitudes como tomar banho, comer um café da manhã e vestir-se para o trabalho, por exemplo).

Crie um ambiente de trabalho

Encontre na sua cidade de destino um ambiente de trabalho pacífico, com internet de alta velocidade, conforto e todos os equipamentos necessários para as suas atividades profissionais.

Pode ser no próprio hotel onde está hospedado, por exemplo.

Muitos quartos já oferecem um ambiente com escrivaninha, o que pode ser suficiente para as suas demandas.

Outros contam com business centers e, por isso, maior infraestrutura para o trabalho.

A mais recente novidade é o Room Office, uma proposta inovadora da All Accor, que já está valendo em muitos de seus hotéis.

Trata-se de um quarto que vira escritório privativo, no qual a cama dá lugar a um ambiente pensado para o trabalho, com segurança, internet de alta velocidade, sem interrupções e atendendo aos mais altos padrões sanitários.

Para saber mais, leia nosso artigo sobre como trabalhar home office nos hotéis Accor.

Cumpra uma carga horária

Em uma viagem a trabalho, é fácil trabalhar menos do que deveria (por sentir que está quase de férias) ou mais que o necessário (já que não há mais a rotina do escritório para definir limites).

Nos dois casos, o problema pode estar na falta de organização.

Para cumprir o seu expediente na medida certa, comece a trabalhar sempre na mesma hora que faria na sua cidade.

Vale programar o alarme ao celular ou criar lembretes nele para avisar sobre a hora do almoço e sobre a hora de encerrar as atividades, por exemplo.

Afinal, como manter a produtividade em uma viagem a trabalho?

Como a gente lembrou lá no início, viagem a trabalho não precisa ser só para realizar os compromissos profissionais.

Com uma boa organização da agenda, dá para conseguir tempo livre e aproveitar seu destino.

Veja as quatro dicas que preparamos para isso.

1. Pesquise com antecedência

Antes de embarcar para a sua viagem a trabalho, confira quais atrações da cidade de destino são interessantes para você.

Faça uma lista com todas elas e defina prioridades.

2. Sincronize programação profissional com a pessoal

Antes de sair do hotel, saiba quais pontos turísticos ou lugares de interesse ficam mais próximos de onde você estará ao longo do dia.

A reunião acabou mais cedo? 

Você saberá que a apenas três quarteirões dali tem um lugar que adoraria conhecer. 

3. Leve dinheiro extra

Nunca se sabe quando você vai encontrar uma peça de decoração única, um artesanato lindo ou o presente perfeito para mostrar à família que lembrou dela

É importante ter um dinheiro reservado, por via das dúvidas, para compras inesperadas ou para entradas de atrações turísticas que você queira visitar.

4. Combine com os amigos

Se você tem amigos na cidade de destino, por que não marcar alguns encontros? 

Aproveite os momentos de almoço e jantar para se reunir com quem você tem saudade.

Com todas essas informações e dicas, você tem tudo para uma viagem a trabalho produtiva, mas sem deixar de aproveitar para turistar.

A verdade é que, não importa o destino, há sempre um hotel Accor para garantir o conforto e a tranquilidade que você precisa.

Inclusive, como a gente viu, dá para trabalhar no próprio hotel durante a viagem.

Além disso, você pode contar também com serviços de lavanderia e passadeira, para manter suas roupas em dia para as reuniões que virão, e transfer para o aeroporto mais próximo.

Acesse o nosso site, encontre a estadia que melhor se encaixa no seu orçamento e necessidades e boa viagem!

Você curtiu? Compartilhe!

Por aí

Mais ideias de viagens

Encontre seu destino perfeito

Com o Radar de Viagens

Descubra