Le Magazine Accor Hotels

Dia da Independência: O que é, importância e destinos históricos

Conheça esse momento histórico em detalhes e os lugares que contam a história do Brasil. Confira!

O Dia da Independência é um marco na história do Brasil, mas também uma oportunidade de curtir o feriado e desbravar nosso belo país.

Já imaginou viver uma experiência alusiva à data em destinos turísticos de tirar o fôlego?

Neste artigo, preparamos um roteiro completo para explorar o território nacional, de Norte a Sul, com indicações de passeios turísticos a locais históricos. 

Acompanhe todas as dicas!

Que dia é o Dia da Independência do Brasil?

O dia que marca a Independência do Brasil é o 7 de setembro.

Foi nessa data que, em 1822, Dom Pedro de Alcântara, que era Príncipe Regente na época, bradou o Grito do Ipiranga.

A data é feriado nacional e é celebrada como um marco da nossa soberania.

Qual é a importância do Dia da Independência do Brasil?

A celebração é mantida ainda hoje pela relevância que traz: o 7 de setembro marcou, simbolicamente, o fim do laço de colonização que existia com Portugal.

Foi o início de um novo período cultural e econômico para o país, que passava a ser uma nação autônoma.

Quais foram os motivos que levaram à independência do Brasil?

Uma série de fatores criou o ambiente que culminou na Independência do Brasil. 

Um dos mais citados é a transferência da corte portuguesa para cá, em 1808, assim como as mudanças ocorridas a partir de então.

No entanto, é preciso considerar também a crise já vivida pelo sistema colonial, com a independência de inúmeras colônias inglesas e espanholas em toda a América.

O Grito do Ipiranga: o que realmente aconteceu no Dia da Independência do Brasil?

Apesar das dúvidas que ainda cercam o momento simbólico da Independência do Brasil, a versão oficial conta que o Príncipe Regente reuniu uma comitiva, ordenou que os soldados jogassem fora os símbolos portugueses e bradou o célebre grito de “Independência ou Morte”.

Historiadores, no entanto, questionam o glamour da cena, marcada na memória coletiva pelo quadro pintado por Pedro Américo.

Seja como for, é um momento que merece ser relembrado.

Em qual cidade ocorreu o Grito do Ipiranga?

O grito proferido por Dom Pedro ocorreu nas imediações do Rio Ipiranga, na cidade de São Paulo - por isso, o nome.

No roteiro que você confere a seguir, inclusive, deixamos uma dica para visitar o local em que tudo aconteceu.

O que motivou Dom Pedro a dar o Grito do Ipiranga?

Quando a corte portuguesa voltou à Europa, em 1821, deixou Dom Pedro no Brasil como Príncipe Regente.

Na sequência, ele começou a receber pressão popular para não acatar as ordens vindas de Portugal.

Dom João, então, ordenou a volta imediata do filho ao seu país de origem. 

Diante de um abaixo-assinado da população, porém, ele negou o pedido do pai e deu origem ao chamado Dia do Fico, em 9 de janeiro de 1822. 

Foi a primeira decisão que o conduziu até o Grito do Ipiranga.

dia da independencia destinos historicos

Destinos históricos para reviver a história do Brasil

História recapitulada? 

Agora, veja os destinos que vão ajudar você a reunir peças para entender a formação do nosso país.

Sudeste: atrações históricas em São Paulo, Rio de Janeiro e mais

Quando o assunto se refere às atrações históricas, o Sudeste brasileiro revela destinos dos mais variados, seja nas capitais, seja em cidades do interior. 

Fica até difícil selecionar, mas separamos 3 dicas.

Praça da Liberdade

Fazer um roteiro cultural por Minas Gerais é também revisitar a história do Brasil Colonial. 

Quem se hospeda no ibis Belo Horizonte Liberdade, por exemplo, já começa o roteiro ao chegar no hotel, que conta com fachada tombada pelo Patrimônio Histórico.

Em poucos passos, você está em um dos cartões-postais da capital mineira: a Praça da Liberdade. 

Ela fica na região que era o ponto mais elevado da cidade na época de sua fundação.

Hoje, em seu entorno, se localiza a Savassi, área nobre e despojada, ideal para aproveitar bares e restaurantes com mesas ao ar livre. 

Museus, cafés e espaços culturais também não faltam.

Parque da Independência

Localizado na cidade de São Paulo, o nome do parque já revela a sua conexão histórica: foi assim batizado por preservar elementos importantes da Independência do Brasil.

Ele guarda, por exemplo, o Museu do Ipiranga, de 1895. 

O acervo tem mais de 125 mil peças - entre elas, a famosa tela “Independência ou Morte”.

Também permite contemplar o Monumento à Independência, erguido no local em que Dom Pedro estava quando recebeu a carta que o fez declarar a independência.

Jardim Botânico do Rio

Quem disse que a Cidade Maravilhosa só tem roteiros para quem quer aproveitar a praia? 

Como segunda capital do Brasil, o Rio de Janeiro guarda pontos históricos importantes. 

Um deles é o Jardim Botânico, fundado por Dom João em 1808, mas aberto ao público apenas em 1822, ano da independência.

Originalmente, o espaço foi criado para adaptar espécies trazidas das Índias Orientais. 

Hoje, é um dos mais importantes centros mundiais de pesquisa nas áreas de conservação da biodiversidade e botânica, além de render um passeio deslumbrante.

Centro-Oeste: destinos históricos que influenciaram a formação do Brasil

Mais notório por seus destinos naturais, o Centro-Oeste também oferece ao visitante passeios por locais que ajudam a contar a trajetória da formação do Brasil como conhecemos atualmente.

Esplanada dos Ministérios

Você pode estar se perguntando o que Brasília, uma cidade inaugurada em 1960, está fazendo em uma lista sobre destinos históricos.

A resposta é simples: mesmo recente, a Capital abriga uma parte importante da história brasileira, especialmente quando pensamos na trajetória da independência aos dias de hoje. 

Então, não deixe de fora do seu roteiro uma caminhada completa pela Esplanada dos Ministérios e seus arredores. 

Temos certeza de que a riqueza arquitetônica vai surpreender você.

Museu Zoroastro Artiaga

Mesmo nova quando comparada a outras capitais brasileiras - sua fundação ocorreu apenas em 1933 -, Goiânia faz questão de manter o seu passado e origem preservados.

O Museu Zoroastro Artiaga, por exemplo, é um espaço que preserva a memória e os traços da cultura indígena e da mineração colonial. 

O seu amplo acervo inclui ainda peças sobre a navegação no Rio Araguaia, arte sacra, folclore e até mesmo fósseis.

Nordeste: região com as cidades mais históricas do Brasil

Passear pelas ladeiras e ruas estreitas do centro de qualquer capital nordestina é mergulhar na história do Brasil Colonial e ver de perto algumas de suas mais famosas manifestações arquitetônicas.

Forte de Santo Antônio da Barra

As dicas de pontos turísticos históricos no Nordeste não poderiam começar por outro lugar: Salvador, a primeira capital do Brasil. 

Por lá, você pode visitar o Forte de Santo Antônio da Barra, com construção de 1534.

Do alto do farol que se encontra no centro da construção, considerado o mais antigo da América, é possível ter uma vista única da Baía de Todos os Santos.

Hoje, o local abriga também o Museu Náutico da Bahia, com amplo acervo arqueológico submarino, além de uma mostra permanente sobre a geografia, a história e a antropologia e cultura desta bela terra.

Palácio dos Leões

Sede do Governo do Maranhão, o Palácio dos Leões está localizado no Centro Histórico da capital São Luís, com construção francesa que data de 1612.

Mais do que a arquitetura exterior imponente, chama atenção a parte interna, que preserva grande parte do mobiliário e da decoração luxuosa original.

O local é considerado um dos maiores prédios públicos do país, com três mil metros quadrados de área construída.

Nordeste: região com as cidades mais históricas do Brasil

Passear pelas ladeiras e ruas estreitas do centro de qualquer capital nordestina é mergulhar na história do Brasil Colonial e ver de perto algumas de suas mais famosas manifestações arquitetônicas.

Forte de Santo Antônio da Barra

As dicas de pontos turísticos históricos no Nordeste não poderiam começar por outro lugar: Salvador, a primeira capital do Brasil. 

Por lá, você pode visitar o Forte de Santo Antônio da Barra, com construção de 1534.

Do alto do farol que se encontra no centro da construção, considerado o mais antigo da América, é possível ter uma vista única da Baía de Todos os Santos.

Hoje, o local abriga também o Museu Náutico da Bahia, com amplo acervo arqueológico submarino, além de uma mostra permanente sobre a geografia, a história e a antropologia e cultura desta bela terra.

Palácio dos Leões

Sede do Governo do Maranhão, o Palácio dos Leões está localizado no Centro Histórico da capital São Luís, com construção francesa que data de 1612.

Mais do que a arquitetura exterior imponente, chama atenção a parte interna, que preserva grande parte do mobiliário e da decoração luxuosa original.

O local é considerado um dos maiores prédios públicos do país, com três mil metros quadrados de área construída.

Norte: atrações imperdíveis para conhecer a história

Assim como todo o Brasil, o Norte teve os povos indígenas como seus primeiros habitantes, e a cultura ainda é muito presente até hoje e decisiva para a formação da identidade local.

Mas além da Floresta Amazônica e das riquezas naturais que ela oferece, os estados da região também contam com atrações históricas imperdíveis.

Teatro Amazonas

É impossível falar de Manaus e não citar o Teatro Amazonas, com sua arquitetura imponente e palco de importantes festivais que celebram a cultural nacional.

Inaugurado em 1896, é de estilo renascentista e marcado pela precisão nos detalhes da sua estrutura. 

O teatro foi criado durante um período de intenso progresso econômico da região, gerado pela exploração das seringueiras.

Praça Dom Frei Caetano Brandão

Localizada no bairro Cidade Velha, a Praça Dom Frei Caetano Brandão marca o local em que surgiu a cidade de Belém, no Pará.

Em seu entorno está a Catedral da Sé, parte importante da celebração do Círio de Nazaré, procissão que faz parte da tradição local e é uma das maiores do mundo.

Sul: destinos inesquecíveis que contam a história da região

O Sul não é opção apenas para quem deseja aproveitar o aconchego de uma lareira nos dias de baixas temperaturas. 

Pelas ruas das cidades mais antigas, também é possível recuperar fragmentos da história brasileira.

Igreja do Rosário - Santuário das Almas

A Igreja do Rosário, de Curitiba, no Paraná, foi originalmente construída em 1737, por escravos e para escravos. 

Ela foi demolida em 1931, mas o terreno recebeu nova edificação em estilo barroco, mantendo alguns azulejos da fachada original.

Mesmo que esteja fora das principais rotas turísticas da cidade, se transformou em um importante espaço de preservação cultural e histórica.

Há quem ainda se refira a ela como Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito, nome da construção original. 

Palácio Piratini

Atual sede do Governo do Rio Grande do Sul, o Palácio Piratini está localizado no Centro Histórico de Porto Alegre. 

A sua pedra fundamental foi lançada em 1896, mas a ocupação só iniciou em 1921.

Além da estrutura externa, vista por quem passa nos arredores, impressiona a delicadeza dos detalhes de decoração, a exemplo dos lustres, que são réplicas daqueles existentes no Palácio de Versalhes, na França.

Conclusão

Pronto para fazer as malas e conhecer mais sobre o Brasil?

Cada um dos pontos históricos que listamos neste texto está localizado em cidades que contam com inúmeros outros atrativos para desfrutar.

Além disso, eles também têm outro fator em comum: oferecem aos visitantes a hospedagem de qualidade da rede de hotéis Accor.

Para saber mais, acesse o nosso site, veja a lista de opções e faça a sua reserva. 

Estamos esperando por você!

Você curtiu? Compartilhe!

Por aí

Mais ideias de viagens

Encontre seu destino perfeito

Com o Radar de Viagens

Descubra